Livros > Resenhas

Se eu fechar os olhos agora

Edney Silvestre, um dos jornalistas consagrados de sua geração, é apresentador no canal Globo News, Espaço Aberto, um programa de entrevistas e literatura. Morou anos nos Estados Unidos e presenciou o maior de todos acontecimentos deste século, o 11 de setembro. Foi o primeiro jornalista que chegou ao ground zero conhecido como World Trade Center. Entrevistou diversos escritores, políticos e artista americanos. Graças ao seu estilo elegante e inteligente, conquistou um enorme respeito no meio jornalístico por sua credibilidade.

O ano de 1961 foi marcado por grandes acontecimentos. Em abril de 1961, o piloto soviético Yuri Gagarin realizou a incrível façanha a bordo de uma nave chamada Vostok 1, foi ao espaço e deu a primeira volta em torno do nosso planeta. Em agosto de 1961, Gherman Titov fez um voo orbital dando 17 voltas em torno da terra, e comprovou: “Deus não existe.” Nesse mesmo ano, em 13 de agosto, russos e alemães orientais construíram o muro de Berlim. Algumas revoluções culturais em gestação no mundo, como no dia 9 de fevereiro de 1961, os Beatles fazem seu primeiro show em Liverpool. Alguns meses depois, Rudolf Nureyev asila-se na França, durante a visita do balé Kirov. No Brasil Janio Quadros renuncia, no dia 25 de agosto de 1961 e, graças a um conjunto de mudanças institucionais artificiais, preparava-se o golpe militar em 1964 que durou 21 anos. Podemos dizer que foi um ano de mudanças profundas.

Mas nesse mesmo ano, em uma cidade situada na zona do café fluminense dois meninos, Paulo e Eduardo ambos com doze anos, pertencentes à classe média baixa brincavam nas margens de uma lagoa, quando se defrontam com um corpo de uma mulher mutilado, cortado em pedaços. Pronto. A partir de agora essa amizade passará por uma provação. Paulo tinha como cuidado evitar as surras que recebia de seu pai e o desprezo do seu irmão. Eduardo era o mais tímido, mais medroso sua fragilidade impedia de seguir mais longe. No entanto, por mais paradoxal que possa ser ambos se completavam.

Agora começará a tensão dessa história. A primeira reação dos garotos atônitos foi chamar a polícia. Como não poderia deixar de ser frente a essa cena brutal. Mas as coisas não se encaminharam muito bem para dupla. Algo estranho já começa a acontecer, quando passam por um interrogatório asfixiante.

São tratados como suspeitos. O elemento que motiva essa suspeita encontra-se na classe social a que os pais pertenciam, ou seja, classe média pobre. Tal procedimento jamais entraria em questão se os dois garotos fossem filhos de juízes ou de advogados, ou de políticos.

Pois é, se não fosse a confissão do marido da defunta, um dentista considerado fisicamente incapaz, o destino dos garotos já estaria selado. Mas havia algo que não fechava nessa história. Por quê? Sabendo que estavam sendo enganados e com os pais proibindo que os dois andassem na companhia um do outro. Fogem a regra familiar e começam a fazer uma investigação por conta própria. E se preparam para encarar uma verdadeira - me desculpem a expressão – “batata quente” encarando desafios sem se deixar influenciar por ameaças.

A princípio a justificativa do ciúme sempre foi considerada uma boa desculpa, mas algumas perguntas precisavam ser feitas: quem era essa mulher? Quais a relações que ela mantinha na cidade? Perguntas sem respostas. Até que surge em cena um senhor de idade chamado Ubiratan morador de um asilo, e que na era Vargas foi preso político e se mostra propenso em ajudá-los nessa investigação. Como passava suas horas livres jogando xadrez, sua reflexão sobre o crime passará dentro da lógica do tabuleiro.

Vou parando por aqui. Não há motivos para prosseguir e contar tudo. Vontade não falta. Mas caberá a você leitor interpretar as zonas sombrias desse enredo.

O leitor quando se defrontar com o livro “Se eu fechar os olhos agora” vai sentir uma mudança após aventura de dois adolescentes que vivenciaram um enredo adulto, transformando-os para o resto de suas vidas. A perda da inocência acontecerá quando descobrem o que realmente se passou através das sombras dos eventos.

Uma trama eletrizante, que contém diferentes gêneros literários, suspense, policial e histórico. Com uma linguagem sofisticada, elegante, refinada que é capaz de expor o pior da nossa espécie humana. Uma história envolvente e agraciada com o prêmio Jabuti, sem dúvida um livro que merece um lugar na sua estante.


Data: 08 agosto 2016 (Atualizado: 08 de agosto de 2016) | Tags: Suspense


< Romeu e Julieta na Aldeia Casa das estrelas >
Se eu fechar os olhos agora
autor: Edney Silvestre
editora: Record

compartilhe

     

você também pode gostar

Podcast

Não conte a ninguém

Resenhas

O Livro dos Espelhos

Vídeos

Dias perfeitos